sexta-feira, 16 de abril de 2010

" Ai, pá, faz-me espécie!"

Depois de, no meu empreendimento de FFX, ter sido atirada para um monte de lama por um yeti enraivecido chamado por Guados que se chatearam cmg sem eu saber porquê ( okay, vá, matei-lhes o mestre...grande coisa...o seymour estava a pedi-las!)...anyways, depois disto tudo, lebrei-me de não deixar o blog ao abandono.



Tudo porque hoje, já não sei bem a propósito de quê, ouvi algo que me fez uma confusão extrema: " Ai, pá (...) faz-me espécie!" Faz-me espécie? Mas que raio de coisa é esta?

Podem imaginar a minha cara de ponto de interrogação, porque se se olharem ao espelho devem estar com uma parecida.

A verdade é que eu acabei por descobrir o que é que me fazia espécie a mim, e como é mais giro exemplificar que explicar...:



Faz-m espécie o teste de psicologia( e o de matemética, o de português...you get the point).

Faz-me espécie que tenham andado a esburacar a minha escola para porem lá tendas de campanha. Não me fazem espécie nenhuma os batalhões de tropas fardados que lá estao dentro, ms isso é outra história ...

Faz-me espécie que quando saí de casa não estivesse a chover e que depois tenha apanhado com uma carga de água tão grande em cima que despedacei o guarda-chuva e cheguei à escola a pingar.

Faz-me espécie que tenham fechado a biblioteca quando eu precisava de dicionários para o concurso de tradução.

Fazem-me espécie os banhos de tomate em Espanha.

E, muito importante, faz-me espécie que tenham cortado a Hometree no AVATAR. -_-""





Epá, e acho que chega de espécies, que ao fim e ao cabo isto foi mais para enumerar uma série de desgraças maior que as do Lemony Snicket ( já agora, vão ver o filme, que é incrivel ( de uma forma impossivel e humorosamente negra, ms pronto)).



P.S.: pelos vistos o "faz-me espécie" é algo muito comum. não fazia mesmo ideia. a sério que não. * facepalms herself*

3 comentários:

Bruna disse...

Hmmm wtf?....faz-me espécie nunca tinha ouvido essa lulz

Lifebringer disse...

Ora bem, eu tenho uma teoria para essa expressão, e acho que ela é proveniente da preguiça dos portugueses.

A intenção original é dizer que nos faz sentir qualquer coisa irritante que não conseguimos descrever. E então o original era dizer algo como "faz-me uma espécie de... não sei..." até que o bom português preguiçoso como é adaptou e resumiu a "faz-me espécie".

E pronto, não é a origem das espécies de Darwin, mas aí tens uma teoria para a origem da expressão :P


P.S: Dá porrada aos senhores guados, força nisso estamos contigo!

Mi-pyon disse...

Faz-me espécie que nunca tenhas ouvido isso antes!
Seca.
Sim os testes de português são um bocado useless e as tomatadas em Espanha são um bocado ridículas, prefiro as tomatadas da FMDUL que são bem mais divertidas.
O tempo, acho que já o descodifiquei. Como tivemos o tráfego aéreo encerrado durante tanto tempo, a natureza encontrou esta forma de nos compensar por isso, dando-nos o clima de fora... cá dentro! É que sol a raiar forte até às 16.30, chuva daí por diante até à noite e adormecer com trovoada e granizo, desculpem lá, mas isso é micro-clima tropical.
So, my dear Saphu, ide para a escolinha de manhã, apreciai os militares já pela hora do almoço, comei um geladinho ao lanche que ainda está quentinho e depois correi para casa antes que o tempo torça o nariz e passa a tarde a matar Guados ao som da trovoada. Pela noitinha, vem cantar para aqui, que chuva já tu deves ter de certeza!
Keep up the good work, hugs and kisses!

Enviar um comentário

 
Copyright 2009 Reasons To Sing In The Rain. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemesfree